25
Ter, Abr
7 Novos artigos

Catedral São Bento festeja a Padroeira do Brasil e a abertura do Ano Mariano

Região I

Celebração em homenagem a Nossa Senhora Aparecida deu início ao Ano Jubilar Mariano na Diocese de Marília. “Nossos pedidos precisam exprimir a vontade de colaborar na construção de um reino de paz e amor”, disse Dom Luiz Antonio durante a homilia.

saobento nsaparecida02Centenas de devotos participaram, na quarta-feira, dia 12, da Procissão e Missa em honra a Nossa Senhora da Conceição Aparecida na Catedral Basílica de São Bento.

Presidida pelo bispo diocesano, Dom Luiz Antonio Cipolini, a celebração deu início ao Ano Jubilar na Diocese de Marília. Intitulada como Ano Mariano pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), a iniciativa acontece em virtude dos 300 anos da aparição da imagem no Rio Paraíba.

“O Ano Mariano irá trazer um conhecimento e aprofundamento sobre as devoções à Maria”, relatou a advogada Juliana Yara Oliveira Fideles que afirma participar todos os anos dos festejos da Padroeira do Brasil. “A liturgia desse dia é muito rica e aprofunda-nos nos mistérios de Nossa Senhora”, completou.

saobento nsaparecida04

“Maria assume sua missão de confiar o mundo a Jesus”, enfatizou o bispo diocesano ao explicar o trecho do Evangelho que relata a Bodas de Caná (Jo 2,1-11). Dom Luiz ressaltou que a Padroeira do país intercede por todos que recorrem a ela, mas disse também que o pedido dos fiéis à Virgem Maria deve ser traduzido na prática diária do bem. “Nossos pedidos precisam exprimir a vontade de colaborar na construção de um reino de paz e amor. Se pedimos bênçãos para a pátria brasileira e para as nossas famílias, devemos transformar-nos em instrumentos daquilo que pedimos”, afirmou.

O também advogado José Ribamar Mota Texeira, devoto de Nossa Senhora Aparecida, disse que, diariamente, carrega consigo uma imagem da padroeira do Brasil. Para ele é sempre “uma grande alegria” participar da celebração no dia 12 de outubro: “ela me ajuda nos momentos de felicidade e me ampara nos momentos não tão bons. Por isso, festejá-la é uma bênção”.

A missa também contou com a presença do padre José Orandi da Silva, administrador paroquial da Catedral Basílica, e do cônego Antônio Flumignan, que durante muitos anos atuou na comunidade.