25
Ter, Abr
9 Novos artigos

Misericórdia e sacerdócio

Mensagens do Bispo

Estamos no Ano da Misericórdia! Nossa diocese está em festa! Temos a graça de contar com quatro novos sacerdotes para trabalhar em nossa diocese. A identidade e a missão presbiteral é de grande importância na vida da Igreja. "Os presbíteros, embora não possuam o ápice do pontificado e dependam dos bispos no exercício do próprio poder, estão-lhes, porém, unidos na honra do sacerdócio e, por virtude do sacramento da Ordem, são consagrados, à imagem de Cristo, sumo e eterno sacerdote (Hb 5,1-10; 7,24; 9,11-28)" (LG 28).

A missão dos presbíteros na vida eclesial é a pregação do Evangelho, o cuidado com o Povo de Deus e a celebração dos mistérios sagrados. O modelo presbiteral deve-se aproximar da simplicidade de Jesus, que caminhava ao lado de seu povo e o servia com alegria. Ouçamos o Evangelho: João Batista estava com dois de seus discípulos e, vendo Jesus passar, disse: Eis o Cordeiro de Deus! (cf. Jo 1,35). João Batista indica Jesus aos seus discípulos. É sempre uma testemunha que aponta Jesus para outra.

Jesus caminha no meio do povo. É o ministério da presença que faz Jesus mergulhar na vida das pessoas, nas alegrias e crises da vida do povo. É a presença que dá oportunidade ao seguimento e ao diálogo: Os dois discípulos seguiram Jesus. Voltando-se para eles e vendo que o estavam seguindo, Jesus perguntou: O que estais procurando? Eles disseram: Mestre onde moras? (cf. Jo 1,36-39).

Jesus respondeu: Vinde ver (cf. Jo 1,39). A consciência de que tudo é dom, inclusive a vocação, nos ajuda a entender que não somos bispos, presbíteros ou diáconos porque somos mais inteligentes, mais capazes, melhores do que os outros, mas somente em virtude de um dom, de uma dádiva de amor conferida por Deus no poder do seu Espírito, para o bem de seu Povo. "Não descuides o dom da graça que há em ti e que te foi dada através da profecia, juntamente com a imposição das mãos do presbitério" (1Tm 4,14), recomenda São Paulo ao jovem bispo Timóteo.

A consciência de que tudo é dom, tudo é graça, ajuda o presbítero a não cair na tentação de se colocar no centro das atenções e de confiar unicamente em si mesmo. São as tentações da vaidade, do orgulho, da autosuficiência e da soberba. Para não cair na tentação, precisamos ouvir a palavra de Jesus. Para ouvir Jesus é preciso, portanto, sempre retornar a Ele, segui-Lo, estar próximo Dele; em suma, permanecer com Ele. Foram, pois, ver onde ele morava e, permaneceram com ele (cf. Jo 1,39). No decorrer do tempo vamos descobrindo que Ele é o Mestre, o Messias, o Filho de Deus! Vamos progredindo no conhecimento dele.

Permanecer em Cristo é permanecer no amor (Jo 15,9). Deus não só está na origem do amor, mas, em Jesus Cristo nos convida a imitar o seu mesmo modo de amar. "Assim como eu vos amei, amai--vos uns aos outros" (Jo 13,14). À medida que nós vivemos este amor gratuito, nos tornamos, no mundo, discípulos missionários de Jesus. O amor não pode suportar ficar fechado em si mesmo. Por sua própria natureza ele é aberto, difunde-se e é fecundo, sempre gera um novo amor. Amor que retoma a crítica cristã ao sistema idolátrico, baseado no "deus" dinheiro, que oprime, empobrece e exclui. Amor que vai em busca de todos, principalmente dos pobres e daqueles que mais sofrem na sociedade contemporânea.

Caros leitores, sempre devemos ser agradecidos ao Senhor, porque na pessoa e no ministério dos bispos, presbíteros e diáconos Ele continua a guiar e formar a sua Igreja, levando-a a crescer no longo caminho da santidade. Ao mesmo tempo, devemos continuar rezando para que os pastores de nossas comunidades possam ser imagens vivas da comunhão e do amor de Jesus Cristo.

Pastoral da Esperança de Marília
Área de dowloads