15
Sex, Dez

Rinópolis - Nossa Senhora Aparecida

 

 

Contato

rinopolisPARÓQUIA NOSSA SENHORA APARECIDA

Côn. Valdemiro Cândido do Símbolo, Pároco

Praça da Matriz, s/n C.P. 88
17740-000 - RINÓPOLIS - SP
(18) 3583-1171
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Horário de atendimento da secretaria:
Segunda a sexta-feira das 7h às 11h30 / 13h às 17h
Sábados das 7h às 11h

Radio: www.radiomaranathafm.com.br

Missas

 Dia Horário Local 
Segunda 19h Matriz
Terça  19h Matriz
Quarta 19h30 Igreja Jd. São Paulo
Quinta 19h Matriz
Sexta 19h Matriz
Sábado 19h Matriz
Domingo 7h, 9h, 18h, 20h Matriz

 

História

PARÓQUIA DE NOSSA SENHORA APARECIDA

Criação

Aos 23 de julho de 1941, por decreto de D. Henrique César Fernandes Mourão, Bispo de Cafelândia, então sede da Diocese que abrangia toda a Noroeste e Alta Paulista.

Padroeira

Nossa Senhora Aparecida

População

10.241 habitantes

Vigário Atual

Cônego Valdemiro Cândido do Símbolo, que tornou  posse na Paróquia no dia 11 de novembro de 1979.

Histórico

O nome de Rinópolis lembra o fundador do município, Cel Eugênio Rino, que no ano de 1927, adquiriu a Fazenda Guataporanga, situada às margens do Rio Aguapeí e aí lançou o marco inicial da povoação.

Foi elevada a Distrito de Paz aos 19 de novembro de 1937 e, aos 30 de novembro de 1938, foi incorporada ao Município de Tupã. Elevada a Município a 30 de novembro de 1944, pertence à Comarca de Tupã.

A Paróquia, conforme consta no decreto de criação, nasceu de um desmembramento do território da Paróquia de São Pedro de Tupã, não havendo nenhuma referência quanto a escolha da Padroeira. No dia 30 de julho de 1941, tomou posse o primeiro vigário da Paróquia, o Pe. Carlos Felsner, da Diocese de Cafelândia.

No dia 28 de junho de 1942, por ocasião da Visita Pastoral, o Sr. Bispo Diocesano, benzeu a pedra fundamental da nova Igreja Matriz, que teve sua construção iniciada. A construção foi paralisada em setembro de 1942 quando, deixou a paróquia o Pe. Carlos Felsner. A construção foi reiniciada em 1944, quando tomou posse na paróquia o Côn. Adalberto de Assis Curvêllo. Sua inauguração ocorreu no dia 09 de junho de 1946, segundo os registros, um Domingo de Pentecostes.

No ano de 1951, já tendo como vigário o Pe. José Luiz Horn, foi iniciada a construção da torre da Igreja. No ano de 1954, Dom Hugo, Arcebispo Administrativo Apostólico de Marília, benzeu os novos sinos e, em maio de 1957, foi inaugurada a nova escadaria da Igreja, construída graças a uma campanha feita pelas crianças, conforme está registrado na própria escadaria.

No dia 18 de outubro de 1959, festa da Padroeira, sendo vigário da Paróquia o Pe. Antonio B. Esser, foi inaugurado o novo altar, dedicado à Nossa Senhora Aparecida. Nesse dia, chegou à Paróquia, trazida por aviões, a imagem que até os dias atuais ocupa seu lugar no altar a ela dedicado. Segundo registro feito pelo Pároco: “nunca Rinópolis assistiu a uma festa com tanta gente e tanto entusiasmo. E, no ano seguinte, no primeiro aniversário da Imagem de nossa Senhora Aparecida na Paróquia, ele deixou registrado”: Rinópolis era pequena demais para conter os devotos de Nossa Senhora, que vinham também de todas as cidades vizinhas.

O altar de Nossa Senhora Aparecida continua sendo local de muita peregrinação e oração dos fiéis. A festa dedicada à Padroeira é a de maior concentração de pessoas e o Côn. Valdemiro, é um grande incentivador da devoção da comunidade à Virgem Maria, cuja festa é sempre precedida de novenas preparatórias, de períodos intensos de atendimento às confissões. Assim, no espírito de oração, de alegria, de muita devoção, a comunidade demonstra seu carinho pela Padroeira.

Zona urbana

  • Igreja do Jardim São Mateus – São Mateus

  • Igreja do Jardim São Paulo – Santa Rita de Cássia e Nossa Senhora da Rosa Mística.

 

Movimentos

  • R.C.C. – Renovação Carismática Católica

  • Grupos de Oração

 

Associações

  • Apostolado da Oração

  • Vicentinos

 

Atividades e Pastorais

  • Pastoral da Consolação

  • Pastoral dos Enfermos

  • G.A.S. – Grupo de Ação Solidária

  • Corais: - Sagrado Coração de Jesus, Grupos de Jovens e o coral INFANTIL

  • Curso em preparação para o Batismo

  • Curso em preparação para a Crisma

  • Catequese em preparação para a Primeira Eucarístia e Catequese de Perseverança em preparação para a Crisma. 

    Rádio Maranatha FM – Veículo de Comunicação e Evangelização, fundada em 25-04-1993.

 

 

Atividades e Pastorais

 

  • Ministros Extraordinários da Eucaristia

  • Ministros das Exéquias

 

Fatos especiais

  • Aos 10 de outubro de 1979, faleceu em Rinópolis o Cônego Antonio Bernardo Esser, sepultado no cemitério local.

  • A paróquia tem como tradição a Festa de São Cristovão. No ano de 2001, foi realizada a XXXI Festa, havendo uma participação maciça dos proprietários de carros e caminhões, contando também com a participação de antigos moradores e pessoas que vêm de outras cidades. A procissão é seguida de animada quermesse.

  • Desde o dia em que foi entronizada a Imagem de Nossa Senhora Aparecida na Igreja Matriz (18-10-1959), é realizada, em todas as 5ª feiras, com início às 14:00 horas, a reza do terço, seguida da novena permanente de Nossa Senhora e Bênção. Há grande participação de fieis, devotos de Nossa Senhora Aparecida.

  • A festa da Padroeira é a mais concorrida da Paróquia, atraindo, em todos os anos, antigos moradores, pessoas de cidades vizinhas, que acompanham, com muita devoção a grandiosa procissão, participam da Missa e recebem a Bênção de Nossa Senhora. No ano de 2001, será celebrado, junto com esta festa, o 60º aniversário de fundação da Paróquia.

A Catequese Paroquial ganhou nova organização e impulso após a chegada na Paróquia do Côn. Valdemiro. A Catequese é desenvolvida ao longo de oito anos e merece destaque pelo grande número de crianças e jovens que dela participam, além da presença marcante dos pais nas Reuniões Bimestrais.

Padroeiro

nsaparecida1Nossa Senhora da Conceição Aparecida, popularmente chamada de Nossa Senhora Aparecida, é a padroeira do Brasil , venerada na Igreja Católica.Um título mariano negro, Nossa Senhora Aparecida é representada por uma pequena imagem de terracota da Virgem Maria atualmente alojada na Basílica de Nossa Senhora Aparecida, localizada na cidade de Aparecida, em São Paulo.

Sua festa litúrgica é celebrada em 12 de outubro, um feriado nacional no Brasil desde 1980, quando o Papa João Paulo II consagrou a Basílica, que é o quarto santuário mariano mais visitado do mundo, capaz de abrigar até 45.000 fiéis

Aparição

Há duas fontes sobre o achado da imagem, que se encontram no Arquivo da Cúria Metropolitana de Aparecida (anterior a 1743) e no Arquivo da Companhia de Jesus, em Roma: a história registrada pelos padres José Alves Vilela, em 1743, e João de Morais e Aguiar, em 1757, cujos documentos se encontram no Primeiro Livro de Tombo da Paróquia de Santo Antônio de Guaratinguetá.

Segundo os relatos, a aparição da imagem ocorreu na segunda quinzena de outubro de 1717, quando Dom Pedro de Almeida, conde de Assumar e governante da capitania de São Paulo e Minas de Ouro, estava de passagem pela cidade de Guaratinguetá, no vale do Paraíba, durante uma viagem até Vila Rica.

O povo de Guaratinguetá decidiu fazer uma festa em homenagem à presença de Dom Pedro de Almeida e, apesar de não ser temporada de pesca, os pescadores lançaram seus barcos no Rio Paraíba com a intenção de oferecerem peixes ao conde. Os pescadores Domingos Garcia, João Alves e Filipe Pedroso rezaram para a Virgem Maria e pediram a ajuda de Deus. Após várias tentativas infrutíferas, desceram o curso do rio até chegarem ao Porto Itaguaçu. Eles já estavam a desistir da pescaria quando João Alves jogou sua rede novamente, em vez de peixes, apanhou o corpo de uma imagem da Virgem Maria, sem a cabeça. Ao lançar a rede novamente, apanhou a cabeça da imagem, que foi envolvida em um lenço.Após terem recuperado as duas partes da imagem, a figura da Virgem Aparecida teria ficado tão pesada que eles não conseguiam mais movê-la. A partir daquele momento, os três pescadores apanharam tantos peixes que se viram forçados a retornar ao porto, uma vez que o volume da pesca ameaçava afundar as embarcações.Este foi o primeiro milagre atribuído à imagem.

Organização

Informações não disponibilizadas