15
Sex, Dez

Tupã - São Judas Tadeu

 

 

Contato

sjudas1

PARÓQUIA SÃO JUDAS TADEU DE TUPA - SP

Pe. Jurandir Fernando Noronha, Pároco

R. Rafael Úbeda Gonçalves, 120 C.P.: 1002
17607-290 TUPÃ-SP
Sec.: (14) 3496-1939/ Res.: (14) 3496-4085
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Horário de atendimento da secretaria:
Segunda à quinta-feira das 8h às 17h30; Sexta das 8h às 17h
Sábado das 8h às 12h

Missas

Matriz São Judas Tadeu de Tupã e Capelas

Local Dia da Semana Horário
Matriz São Judas Tadeu 1ª Quarta-Feira do mês 19h00
  Demais Quartas-Feiras 19h30
  Sábados 19h30
  Domingos - missa com crianças 09h00
  Domingos 19h30
Salão Paroquial N.S. da Paz Todos Domingos 07h30
Bairro Três Vendas 1ª Quarta-Feira do mês 20h00
Bairro São Bento 1ª Quinta-Feira do mês 20h00
Bairro Ponte Alta 3ª Quinta-Feira do mês 20h00
Bairro 1º Progresso 3º Domingo do mês 10h30

 

Lembramos que todo dia 28 de cada mês é celebrada missa em louvor à São Judas Tadeu às 19h30min.

Aos Domingos o Padre celebra missa em Arco-Íris às 20h30min logo após a celebração da missa
na Paróquia São Judas Tadeu.

Nos Setores realiza-se conforme o calendário, sempre às Terças-Feiras, às 19h30min.

História

Histórico

Dom Hugo Bressane de Araújo assinou o decreto de criação da Paróquia São Judas Tadeu, de Tupã, em 13 de maio de 1962. A Paróquia foi desmembrada do território da Paróquia de São Pedro Apóstolo, de Tupã.

Em 2002, ano do jubileu de ouro da Diocese de Marília, a paróquia completou quatro décadas de trabalhos pastorais, durante as quais foi assistida por padres de três congregações diferentes: os salesianos, os jesuítas e os marianistas. O primeiro vigário da paróquia foi o padre salesiano Pedro Cometti, que trabalhou junto com os padres Francisco Sersen, Rublo e Joaquim Gonzáles. Em um segundo momento, vieram os padres Geraldo, Dionísio e Vicente.

Os jesuítas participaram da paróquia a partir da nomeação do Pe. José Kakimoto como pároco, em 25 de setembro de 1971. Ele foi auxiliado pelos padres André Aoki e Miguel Hirata. A congregação ficou na paróquia até o dia 13 de dezembro de 1976, quando terminou o mandado do Pe. Manuel Fernández Herce, que havia sido nomeado em 7 de outubro de 1973.

São Judas em 2004Sempre trabalhando em equipe, os padres marianistas vieram atuar na Paróquia São Judas Tadeu em 26 de dezembro de 1976, a pedido do então bispo diocesana, Dom Frei Daniel Tomasella. Primeiramente foi nomeado o Pe. José Maria Gómez de La Veja, junto com seus colaboradores, Pe. Miguel Fernández de Retana e o Irmão Boaventura Barrón.

A paróquia ainda teve à sua frente o Pe. Miguel, nomeado em janeiro de 1978. Ele contou com a colaboração dos padres João Batista Aoki e João Carlos Manrique Arnáiz. Em março de 1983 foi a vez do Pe. João Carlos se tornar pároco, com o auxílio do Pe. Miguel e do Irmão Boaventura. Na época, eles atendiam também as paróquias de Bastos e Iacri.

Em 4 de fevereiro de 1988, o Pe. Jesus Bringas Trueba assumiu o trabalho na paróquia, tendo como auxiliares os padres João Carlos Manrique, Paulo Miki Hasegawa e o Irmão Manuel Campos Ruiz. O Irmão Manolo, como era mais conhecido, foi assassinado no Rio de Janeiro, em 18 de dezembro de 1992, causando grande comoção na comunidade.

Dentre as conquistas mais importantes dos 38 anos da Paróquia São Judas Tadeu estão a construção da nova casa paroquial e a reforma e ampliação da igreja matriz, que ocorreu entre janeiro de 1986 e novembro de 1988, com os padres João Carlos e Jesus. Ainda dentre as construções estão a ampliação dos salões paroquiais e a construção do Centro Comunitário Nossa Senhora da Paz.

Em 8 de julho de 1995, foi nomeado o padre Ângelo Palácios Saiz como novo pároco. O sacerdote permaneceu à frente da paróquia, com a ajuda dos vigários, Pe. João Carlos Manrique Arnáiz, Pe. Paulo Miki Hasegawa e Pe. Fernando Cano Manuel Abárzuza. A presença dos padres marianistas tem representado muito para a caminhada da paróquia de Tupã, pois além de seguirem as orientações da diocese, os sacerdotes ainda cultivam a amizade com os padres diocesanos e com os leigos comprometidos com as diversas pastorais. Em 1985, os sacerdotes da Companhia de Maria inauguraram na cidade de Marília a Casa de Formação Beato Guilherme José Chaminade, com o objetivo de formar novos marianistas.

Para o desenvolvimento do trabalho pastoral, a Paróquia São Judas tem três linhas de atuação, nas quais as suas 24 pastorais, mais os movimentos e associações se dividem. O núcleo ”Anúncio da Palavra” envolve a catequese, enquanto o núcleo ”Celebração da Palavra” abrange a Liturgia, e o núcleo ”Encarnação da Vivência da Palavra”, enfoca a caridade e as ações sociais.

Fonte: Revista do Jubileu – Diocese de Marília – Edição comemorativa do jubileu de ouro da Diocese de Marília (1952/2002).

Padroeiro

São Judas Tadeu era natural de Caná da Galiléia, na Palestina. Sua família era constituída do pai, Alfeu (ou Cléofas) e a mãe, Maria Cléofas. Eram parentes de Jesus. O pai, Alfeu, era irmão de São José; a mãe, Maria Cléofas, prima irmã de Maria Santíssima. Portanto, Judas Tadeu era primo irmão de Jesus. O irmão de Judas Tadeu, Tiago, chamado o Menor, também foi discípulo de Jesus.

sjudas_img

A Bíblia trata pouco de Judas Tadeu. Mas aponta o importante: Judas Tadeu foi escolhido por Jesus, para apóstolo (Mt 10,4). é citado explicitamente nas Escrituras pelo evangelista João (Jo 14,22). Na ceia, Judas Tadeu perguntou a Jesus: "Mestre, por que razão hás de manifestar-te só a nós e não ao mundo?" Jesus lhe respondeu afirmando que teriam manifestação dele todos os que guardassem sua palavra e permanecessem fiéis a seu amor.Após ter recebido o dom do Espírito Santo, Judas Tadeu iniciou sua pregação na Galiléia. Passou para a Samaria e Iduméria e outras populações judaicas. Pelo ano 50, tomou parte no primeiro Concílio, o de Jerusalém. Em seguida, foi evangelizar a Mesopotâmia, Síria, Armênia e Pérsia. Neste país recebeu a companhia de outro apóstolo, Simão. A pregação e o testemunho de Judas Tadeu impressionaram os pagãos que se convertiam. Isto provocou a inveja e fúria contra o apóstolo, que foi trucidado, a golpes de cacetes, lanças e machados. Isso, pelo ano 70. São Judas Tadeu foi mártir, quer dizer: mostrou que sua adesão a Jesus era tal, que testemunhou a fé com a doação da própria vida.

A brevíssima Carta de São Judas, que está na Bíblia, é uma severa advertência contra os falsos mestres e um convite a manter a pureza da fé. Nos versículos 22-23 propõe pontos fundamentais de um programa de vida cristã: fé, oração, auxílio mútuo, confiança na misericórdia de Jesus Cristo.

A imagem de São Judas tem o livro, que é a Palavra que ele pregou e a machadinha, com a qual foi morto. Os restos mortais, após terem sido guardados no Oriente Médio e na França, foram definitivamente transferidos para Roma, na Basílica de São Pedro.

A relíquia de São Judas: A relíquia que temos é um pedaço de osso dele. O relicário é usado para dar a bênção nos dias 28 de cada mês. A relíquia chegou até nós em 1945 ou 1946 por meio de um padre capelão militar. Este, durante a guerra, serviu a um convento de religiosas, na Itália. Finda a guerra, o padre recebeu de presente, das Irmãs, a relíquia de São Judas, que foi posteriormente doada ao Santuário São Judas Tadeu. Junto, um documento garantindo a autenticidade da relíquia.

São Judas Tadeu,
Rogai por nós

Organização

Conselho para Assuntos Econômicos da Paróquia (CAEP) e Conselho Paroquial de Pastoral (CPP)

Você sabia que em toda Paróquia há que haver dois importantes Conselhos, cuja função é decidir, juntamente com o Pároco, tudo o que vai seer feito na mesma? Ao contrário do que muita gente pensa, não é o pároco, sozinho, que decide tudo. Por se tratar de uma comunidade, e, sobretudo, de uma Instituição Jurídica, as decisões têm que ser submetidas a estes dois Conselhos. Um que trata dos assuntos pastorais (o CPP) e o outro que responde pela parte administrativa e financeira (o CAEP).

O CAET significa Conselho para Assuntos Econômicos da Paróquia. Há Paróquias que usam siglas distintas para denominar o Conselho Econômico Paroquial. Trata-se de um Conselho que deve ser constituído de membros participantes da comunidade paroquial que podem seer indicados pela comunidade, porém, têm que ser aprovado pelo pároco e pelo Bisco. Esse Conselho tem por finalidade colaborar com o pároco na administração dos bens da paróquia, como pede o Código de Direito Canônico (Cân. 537).

Alguns podem perguntar o por quê da existência do mesmo. A constituição na paróquia do Conselho para Assuntos Econômicos é obrigatória por determinação canônica e o mesmo deve seer distinto do CPP. Há um documento que rege esse Conselho, o Regimento do CAEP, e tudo o que é feito na paróquia deve estar em consonância com esse Regimento.

A função do CAEP é cuidar do patrimônio da paróquia, inclusive do patrimônio das capelas, e administrá-los de acordo com as orientações da Diocese contidas no Regimento do mesmo. Além disso, o CAEP é responsável também pelo quadro de funcionários da paróquia. Constitui patrimônio da paróquia os bens móveis e imóveis adquiridos com recursos da Diocese ou da paróquia ou a ela doados (Cân. 1257). O patrimônio paroquial é administrado pelo pároco, em nome da Autoridade diocesana, com a colaboração do CAEP.

O CAEP deve ser composto por três membros, no mínimo, e cinco, máximo, contando com o pároco que é o seu presidente. Todos devem ter formação e prática religiosa e serem competentes em assuntos de administração e merecedores da confiança do pároco e da comunidade. Dentre esses membros é escolhido um coordenador, o qual pertencerá de direito ao Conselho de Pastoral Paroquial (CPP). O mandato dos membros do CAEP é de dois anos, podendo ser reconduzidos no todo ou em parte e, ao término dos dois anos podem ser renovados por mais dois, não mais que isso. Esse tempo pode variar de acordo com cada Diocese. Vale lembrar que, com a mudança de pároco cessam os mandatos. O novo pároco poderá readmiti-los na função ou formar uma nova equipe.

Especificamente com relação ao Conselho Paroquial de Pastoral - CPP trata-se de um organismo representativo de toda a Paróquia, constituída por comunidades eclesiais (matriz e "capelas", ministérios, pastorais, movimentos eclesiais, etc. É sinal e instrumento de comunhão eclesial, lugar de encontro e de convergência, de diálogo e de irradiação pastoral.

A missão do CPP é garantir a vida de comunhão na paróquia. Por isso, é responsável pela organização e articulação das pastorais, e pela espiritualidade e formação dos fiéis. Ao CPP cabe refletir, planejar, decidir, animar e revisar toda a ação pastoral da paróquia. Ele deve preparar, organizar e realizar as Assembléias Paroquiais de Pastoral, que são a instância mais importante da caminhada pastoral da paróquia. Ele encaminha a realização do Planejamento Paroquial de Pastoral. A ele cabe conhecere a realidade e seus desafios, julgá-la com os olhos da realidade e da Palavra de Deus, e estimular ações transformadoras que a tornem sinal do Reino de Deus.

O Conselho Paroquial de Pastoral - CPP é presidido pelo pároco. Ele deve estar presente em todas as reuniões, pôr na pauta os grandes desafios e compromissos da paróquia, oferecer os grandes eixos doutrinais e pastorais, a fim de iluminar os participantes a tomar as decisões que foram necessárias. Além do pároco, que preside o conselho, haverá também um/a coordenador/a, que será responsável pela articulação, organização, agenda das reuniões, etc. Esse coordenador deve atuar em sintonia e unidade como pároco.

Mapa

 

alt

A Paróquia São Judas Tadeu de Tupã localiza-se na
Rua Rafael Úbeda Gonçalves 120
Fone: (14) 3496-1939