20
Sex, Out

Missa marca o encerramento do Ano da Misericórdia na Diocese de Marília

Notícias da Diocese

Na oportunidade, dom Luiz Antonio Cipolini agradeceu aos padres e fiéis envolvidos no desenvolvimento das atividades do Jubileu Extraordinário na Diocese. “Nosso objetivo é perpetuar o Ano da Misericórdia nos corações dos idosos de Irapuru”, ressaltou ao falar da construção do Lar Santa Genoveva como gesto concreto da iniciativa jubilar.

Centenas de fiéis lotaram a Catedral Basílica de São Bento, em Marília, na tarde do domingo, dia 13, para participar da cerimônia de encerramento do Ano Extraordiário da Misericórdia. Na ocasião, o bispo diocesano, dom Luiz Antonio Cipolini, presidiu missa em ação de graças pelo Ano Santo vivenciado por milhares de devotos.

A celebração marcou, na Diocese de Marília, o encerramento do Jubileu Extraordinário da Misericórdia, instituído pelo papa Francisco no período que compreende de 8 de dezembro de 2015 a 20 de novembro de 2016.

A Porta da Misericórdia, aberta pelo bispo diocesano em 13 de dezembro de 2015 na Catedral e no Santuário Sagrado Coração de Jesus, de Vera Cruz, e nos domingos seguintes, dias 20 e 27, respectivamente, nas igrejas São Pedro Apóstolo, de Tupã, e Nossa Senhora Aparecida, de Dracena, favoreceu a peregrinação de milhares de fiéis que, arrependidos de seus pecados, receberam o perdão.

“Nós vamos continuar vivendo as motivações do Ano Santo para que a nossa fé em Cristo seja creditada. A fé passa pelo acolhimento e observância das obras de misericórdia”, ressaltou o bispo diocesano que, na pessoa do Padre Ademilson Luiz Ferreira, coordenador diocesano de pastoral, agradeceu todos os ministros ordenados, religiosos, seminaristas e leigos que se empenharam na realização das peregrinações às Portas da Misericórdia instituídas na Diocese.

MARCO DA MISERICÓRDIA

No dia 2 de abril, na Praça São Pedro, o Papa Francisco disse aos peregrinos que “a misericórdia é, antes de mais nada, a proximidade de Deus ao seu povo. Uma proximidade que se manifesta principalmente como ajuda e proteção”. Após tal afirmação pediu que as dioceses de todo o mundo perpetuassem as reflexões do Ano Extraordinário por meio de uma obra estrutural de misericórdia.

Em resposta ao pedido de Francisco, a Diocese de Marília escolheu como monumento do Ano Santo a construção do Lar de Idosos Santa Genoveva, em Irapuru. A obra acontecerá porque o antigo asilo da cidade foi leiloado pelo Ministério Público por razões de dívidas trabalhistas. “Em comunhão com toda a Igreja, o nosso coração se volta para os idosos. Eles perderam o lar onde habitavam e nós queremos colaborar dizendo a eles que não estão sozinhos”, ressaltou Dom Luiz.

“Nosso objetivo é perpetuar o Ano da Misericórdia em nossa diocese e nos corações dos idosos de Irapuru”, disse o bispo diocesano ao agradecer os fiéis que, nos dias 12 e 13, em todas as paróquias, fizeram suas ofertas que serão revertidas para a construção do Lar Santa Genoveva. 

Veja as fotos em nossa Pagina Oficial no facebook.