20
Sex, Out

Diocese prepara missa para comemorar os 80 anos de Dom Osvaldo

Clero

Para celebrar as oito décadas de vida do bispo emérito, uma missa será celebrada amanhã na Igreja Santo Antônio. Dom Luiz Antonio convida os fiéis para ato que pretende reunir padres, religiosos e fiéis

O bispo emérito de Marília, dom Osvaldo Giuntini completa amanha, dia 24, 80 anos de vida. Uma missa em ação de graças pela ocasião será celebrada na Igreja Santo Antônio às 19h30.

Segundo o bispo diocesano, dom Luiz Antonio Cipolini, a celebração pretende reunir padres, religiosos e fiéis no agradecimento a Deus pela vida do bispo emérito. Para ele, a presença de dom Osvaldo na Diocese é motivo de louvor, pois a oração, o exemplo e o conselho de seu antecessor “correspondem à sua vasta experiência apostólica”, disse.

“Vamos celebrar juntos o aniversário de nosso bispo emérito. Juntamente com a sua família, você é nosso convidado especial”, convida.

DOM OSVALDO

Filho de Waldomiro Giuntini e Conceição Giuntini, o bispo emérito de Marília nasceu na cidade de São Paulo (SP) no dia 24 de outubro de 1936. Em 1949, início de sua adolescência, ingressou no Seminário Metropolitano do Imaculado Coração de Maria, em São Roque (SP).

Sua ordenação presbiteral aconteceu na capital paulista aos oito de dezembro de 1963. Como padre atuou nas cidades de São Paulo, Salto (SP), Itu (SP) e Jundiaí (SP) até ser eleito bispo pelo então Papa João Paulo II, hoje santo, no dia 15 de junho de 1982. A ordenação episcopal aconteceu em Jundiaí no dia 12 de setembro do mesmo ano. Desde então, reside em Marília.

Dom Osvaldo chegou à Diocese como bispo auxiliar, depois foi nomeado coadjutor, até tornar-se diocesano no dia nove de dezembro de 1992, com a renúncia de seu antecessor, dom frei Daniel Tomasella.

Em seu episcopado, articulou a pastoral e foi um grande incentivador das vocações. Tornou-se bispo emérito no dia oito de maio de 2013 quando o Papa Francisco nomeou o então monsenhor Luiz Antonio, hoje bispo diocesano de Marília.

Perguntado sobre que mensagem quer deixar à posteridade, Dom Osvaldo afirmou que todos os fiéis devem sentir-se amado e escolhido por Deus para deixar uma marca de amor nas pessoas e completou: “espero ter deixado a marca de Jesus em todos da Diocese de Marília”.