18
Sab, Nov

Pacaembu - Nossa Senhora das Graças

nsgracasPe. Wagner Antônio Montoz, Pároco

Fone: (18) 3862-1888

nsgracasPe. Wagner Antônio Montoz, Pároco

Fone: (18) 3862-1888

Contato

pacaembuPARÓQUIA NOSSA SENHORA DAS GRAÇAS

Pe. Wagner Antônio Montoz, Pároco

Rua Dr. Paulo Antônio Ribeiro Fraga, 814 C.P. 27
17860-000 - PACAEMBU - SP
Sec.: (18) 3862-1888/Res.: (18) 3862-1063
O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

Horário de atendimento da secretaria:
Segunda a sexta das 8h às 11h30 / 13h às 17h
Sábado das 8h às 11h30

Missas

Dia  Horário  Local  Obs 
Quarta  19h30  Matriz   
Domingo 7h e 19h Matriz  
Domingo 9h30 Matriz Missa das Crianças
2ª Terça 19h30 Nova Pacaembu  
2ª Quinta 19h45 Córrego da Paz  
3ª Quinta 19h30 Santa Maria  
4ª Quinta 19h30 Olímpia  
1ª Sexta 19h30 Matriz  
1º e 3º Sábado 19h30 Santo Antonio  
2º Sábado 19h30 Marajá  
4º Sábado 19h30 São Judas  

História

Pacaembu surgiu de uma disputa politica entre os então emergentes núcleos: a sudoeste Sumatra, a nordeste Alto Iracema, ais ou menos ao meio Esplanada e  Guaraniúva.

Em 1949, após campanha acirrada a hegemonia politico, econômica e administrativa, com a eleição do Sr. Orlando de Souza. 1º prefeito, ficou com Esplanada que desenvolveu-se e aqui esta Pacaembu para continuarmos a construí-la.

A historia de nossa igreja, também seguiu caminho semelhante. Até 20/01/1950 era atendida pela paróquia Sagrada Família de Lucélia. D.Henrique  Gelain, bispo de Lins. Criou nessa data a paróquia de São Francisco de Paula, em Sumatra. Mais tarde, no mesmo ano, com a criação da comarca de Pacaembu, passou a sediar-se no local antes denominado Esplanada, tendo como padroeira Nossa Senhora das Graças.

A imagem da Santa padroeira foi doada pelo casal: José Bernardo de Mattos e Antônia Alves de Mattos. Esta imagem ainda é preservada na paróquia.

Os primeiros vigários, já falecidos foram: Padre Conrado Wilde/Padre Guilherme Muth, eram Diocesanos.

No período de 1965 a 1974 a paroquia ficou sob orientação dos padres irlandeses da congregação do Espirito Santo. Nesse período foi também marcante a participação das irmãs que ajudaram a dinamizar a fé popular e a construir uma igreja viva em nosso meio.

Em 1974 os padres irlandeses deixaram a paroquia. Ficamos ate 1982 sem padre residente.

Éramos orientados pelas irmãs. Tínhamos padre uma vez por semana para missa dominical, casamentos e batizados. Foi uma experiência dolorosa, entretanto, tem seu lado positivo, nos ensinou a necessidade de assumirmos as responsabilidades da igreja se quiséssemos que ela se mantivesse viva.

Nessa época sentimos o valor de ser um pastor para guiar o rebanho.

Nossa paroquia em sua caminhada teve a participação dos seguintes padres até hoje 2013.

  • Conrado Wilde- 1949
  • Guilherme Muth- 1951
  • Martinho Dostest- 1964- vigário ecônomo
  • Monsenhor Milaré- 1964- vigário ecônomo
  • David Regan- 1964
  • James Heneghan- 1965
  • Thiago Henghan- 1965
  • Hugo Prior- 1966
  • Patrick Joseph Leonard- 1967
  • Francisco Ituply- 1968
  • Miguel- 1969
  • Oliver Leery- 1970
  • Patricio- 1970
  • Guilherme Bradley- 1971
  • Miguel Kane- 1974
  • Eugenio Borro- 1975
  • Carlos O”Looney- 1976
  • João Kil Granna- 1978
  • Micheal Antony- 1979
  • Michael Foody- 1980
  • Ângelo Bertoli- 1982
  • Cosme Chinier- 1986
  • Ricardo Bravi- 1986
  • Jose Augusto Brasil- 1987
  • Waldemar Cardoso- 1990
  • Nelson Bernardino Lopes- 1992
  • Rafael Octavio Garcia- 1999
  • Jose da Silva Queiroz- 2006
  • Ângelo Jose Biffi- 2007
  • Jose Valdir Grisante- 2011
  • Wagner Antônio Montoz- 2013

Muito contribuíram também para nosso desenvolvimento na vida cristã, as irmãs:

  • Catarina- 1968
  • Patrícia- 1968
  • Margareth- 1973
  • Silda Hayes- 1973
  • Maureen O’Malley- 1974
  • Conchita Mac Donnell- 1976
  • Elizabeth Berina- 1979
  • Eleonor Hayes-1980

Padroeiro

Nossa Senhora da Medalha Milagrosa é uma invocação especial pela qual é conhecida a Virgem Maria, também invocada com a mesma intenção sob o nome de Nossa Senhora das Graças e Nossa Senhora Medianeira de Todas as Graças

As aparições
Esta invocação está relacionada a duas aparições da Virgem aSanta Catarina Labouré, então uma noviçadas Irmãs da Caridadeem ParisFrança, no século XIX.
A primeira aparição aconteceu na noite da festa de São Vicente de Paulo19 de Julho, quando a Madre Superiora de Catarina pregou às noviças sobre as virtudes de seu santo fundador, dando a cada uma um fragmento de sua sobrepeliz. Catarina então orou devotamente ao santo patrono para que ela pudesse ver com seus próprios olhos a Mãe de Deus, e convenceu-se de que seria atendida naquela mesma noite.
Indo ao leito, adormeceu, e antes que tivesse passado muito tempo foi despertada por uma luz brilhante e uma voz infantil que dizia: "Irmã Labouré, vem à capela; Santa Maria te aguarda". Mas ela replicou: "Seremos descobertas!". A voz angélica respondeu: "Não te preocupes, já é tarde, todos dormem... vem, estou à tua espera". Catarina então levantou-se depressa e dirigiu-se à capela, que estava aberta e toda iluminada. Ajoelhou-se junto ao altar e logo viu a Virgem sentada na cadeira da superiora, rodeada por um esplendor de luz. A voz continuou: "A santíssima Maria deseja falar-te". Catarina adiantou-se e ajoelhou-se aos pés da Virgem, colocando suas mãos sobre seu regaço, e Maria lhe disse:
"Deus deseja te encarregar de uma missão. Tu encontrarás oposição, mas não temas, terás a graça de poder fazer todo o necessário. Conta tudo a teu confessor. Os tempos estão difíceis para a França e para o mundo. Vai ao pé do altar, graças serão derramadas sobre todos, grandes e pequenos, e especialmente sobre os que as buscarem. Terás a proteção de Deus e de São Vicente, e meus olhos estarão sempre sobre ti. Haverá muitas perseguições, a cruz será tratada com desprezo, será derrubada e o sangue correrá". Depois de falar por mais algum tempo, a Virgem desapareceu. Guiada pelo anjinho, Catarina deixou a capela e voltou para sua cela.
Catarina continuou sua rotina junto das Irmãs da Caridade até o Advento. Em 27 de novembrode 1830, no final da tarde, Catarina dirigiu-se à capela com as outras irmãs para as orações vespertinas. Erguendo seus olhos para o altar, ela viu novamente a Virgem sobre um grande globo, segurando um globo menor onde estava inscrita a palavra "França". Ela explicou que o globo simbolizava todo o mundo, mas especialmente a França, e os tempos seriam duros para os pobres e para os refugiados das muitas guerras da época.
Então a visão modificou-se e Maria apareceu com os braços estendidos e dedos ornados por anéis que irradiavam luz e rodeada por uma frase que dizia: "Oh Maria, concebida sem pecado, rogai por nós que recorremos a vós". Desta vez a Virgem deu instruções diretas: "Faz cunhar uma medalha onde apareça minha imagem como a vês agora. Todos os que a usarem receberão grandes graças". Catarina perguntou por que alguns anéis não irradiavam luz, e soube que era pelas graças que não eram pedidas. Então Maria voltou-lhe as costas e mostrou como deveria ser o desenho a ser impresso no verso da medalha. Catarina também perguntou como deveria proceder para que a ordem fosse cumprida. A Virgem disse que ela procurasse a ajuda de seu confessor, o padre Jean Marie Aladel.
De início o padre Jean não acreditou no que Catarina lhe contou, mas depois de dois anos de cuidadosa observação do proceder de Catarina ele finalmente dirigiu-se ao arcebispo, que ordenou a cunhagem de duas mil medalhas, ocorrida em 20 de junhode 1832. Desde então a devoção a esta medalha, sob a invocação de Santa Maria da Medalha Milagrosa, não cessou de crescer. Catarina nunca divulgou as aparições, salvo pouco antes da morte, autorizada pela própria Maria Imaculada.

Simbolismo da Medalha Milagrosa

  • A serpente: Maria aparece esmagando a cabeça da serpente. A mulher que esmaga a cabeça da serpente, que é o demônio, já estava predita na Bíblia, no livro do Gênesis: "Porei inimizade entre ti e a mulher... Ela te esmagará a cabeça e tu procurarás, em vão, morder-lhe o calcanhar". Deus declara iniciada a luta entre o bem e o mal. Essa luta é vencida por Jesus Cristo, o "novo Adão", juntamente com Maria, a co-redentora, a "nova Eva". É em Maria que se cumpre essa sentença de Deus: a mulher finalmente esmaga a cabeça da serpente, para que não mais a morte pudesse escravizar os homens.
  • Os raios: Simbolizam as graças que Nossa Senhora derrama sobre os seus devotos. A Santa Igreja, por isso, a chama Tesoureira de Deus.
  • As 12 estrelas: Simbolizam as 12 tribos de Israel. Maria Santíssima também é saudada como "Estrela do Mar" na oração Ave, Stella Maris.
  • O coração cercado de espinhos: É o Sagrado Coração de Jesus. Foi Maria quem o formou em seu ventre. Nosso Senhor prometeu a Santa Margarida Maria Alacoquea graça da vida eterna aos devotos do seu Sagrado Coração, que simboliza o seu infinito e ilimitado Amor.
  • O coração transpassado por uma espada: É o Imaculado Coração de Maria, inseparável ao de Jesus: mesmo nas horas difíceis de Sua Paixão e Morte na Cruz, Ela estava lá, compartilhando da Sua dor, sendo a nossa co-redentora.
  • M: Significa Maria. Esse M sustenta o travessão e a Cruz, que representam o calvário. Essa simbologia indica a íntima ligação de Maria e Jesus na história da salvação.

O travessão e a Cruz: Simbolizam o calvário. Para a doutrina católica, a Santa Missa é a repetição do sacrifício do Calvário, portanto, ressaltam a importância do Sacrifício Eucarísticona vida do cristão.
Fonte: Wikipédia, a enciclopédia livre. 

Organização


CONSELHO PAROQUIAL DE PASTORAL (CPP)

1.E.C.C (Encontro de Casais com Cristo)

Marcelo e Nedecia

2.R.C.C (Renovação Carismática Católica)

Cicero

3.C.A.E.P ( Conselho Assuntos econômicos paroquial)

Jose Luis Tino

4.Pastoral da Liturgia

Teresinha Sacomam

5.Pastoral dos Ministros extraordinários da Eucaristia

Bete Gratão

6.Pastoral das Exéquias

Lucilene Livino de Melo

7.Pastoral da Saúde

Adelia Gratão

8.Pastoral do Batismo

Silvano Corte

9.Pastoral da criança

Nevail

10.Pastoral da Pessoa Idosa

Pedro

11.Pastoral do Dizimo

Luciane e Wagner Bratifich

12.Pastoral do apostolado da oração

Onesia Dantas

13.Pastoral Vocacional

Rosangela Ozelim

14.Pastoral Familiar

Antônio e Aparecida

15.Pastoral da Ornamentação

Quinha

16.Catequese (Coordenadora geral)

Lucia Viscardi

17.Catequese/Crisma

Ivonete

18.Equipe dos Coroinhas

Lucilene Livino de Melo

19.Setor Juventude ( Coordenador geral)

André Uzilin

20. Equipe Acampamento

Graciete

21.Equipes de Cânticos

Carmela Ziliotti

22. Assistência Social Mariana

Luis Almeida

23. Lar dos Idosos

Idalina

24.  Santa Casa

Rosangela

25. Casa da Criança

Zeca

26. Comunidade Santo Antônio

Fatima

27. Nova Pacaembu

Maria

28. Comunidade Nossa Senhora Aparecida-Maraja

Fatima Polisei

29. Comunidade São Judas Tadeu

Aniba

30. Capela rural São Sebastião-Bairro Santa Maria

Ines Regina Costa

31. Capela rural São Sebastião-Bairro Olimpia

Augusto Nardon

32. Capela rural Nossa Senhora Ap.-Bº Areia Branca

Gilberto livino de Melo

33.Capela rural Nossa Senhora Ap.-Bº Corrego da Paz

Judite

34. Equipe Data Show-projeções

Lucilene Livino de Melo

35.Setor Missionário-G.A.M (Gupo de animação missionária)

Lucilene Livino de Melo